Xàbia vai investir 8 milhões de euros, nos próximos quatro anos, na melhoria da rede de esgotos

El Javea Câmara Municipal Realizou, na tarde de quarta-feira, uma reunião informativa sobre as mudanças no esgoto, introduzida pela nova Lei de Desenvolvimento Urbano de Valência (LOTUP) e que o município assumirá quando aprovar definitivamente o novo plano geral estrutural.

As novas modificações afetam a habitação recém-construída ou aqueles que realizam um trabalho importante que implica um aumento substancial nas descargas. A Lei deixa claro que, sempre que economicamente viável, as casas terão que ser conectadas ao sistema de esgoto. No caso de Xàbia, o Conselho da Cidade tem valorizado "Viabilidade" para casas com menos de 100 metros lineares da linha.

Somente nos casos em que este acoplamento é inviável, será dada a opção de usar um sistema individual. Neste sentido, as fossas sépticas são proibidas e somente um depósito individual (sem a possibilidade de vazamentos) será autorizado, com gestão através da Câmara Municipal. No caso de um plano urbano com capacidade para mais de 250 pessoas, uma estação de tratamento de esgoto deve ser construída para a urbanização.

Desempenho da Câmara Municipal

A Conselheira para o Desenvolvimento Urbano, Isabel Bolufer, avançou os dois pontos sobre os quais a Câmara Municipal está trabalhando para responder aos novos regulamentos. Por um lado, foi planeada uma melhoria da rede de saneamento a desenvolver nos próximos quatro anos, envolvendo um investimento de cerca de oito milhões de euros.

O prefeito disse que as especificações já foram elaboradas e a reserva de crédito feita para licitar os projetos da primeira fase dos novos catadores (nas áreas de Montgó, Lluca e Cap de la Nao). A Câmara Municipal pagará pelos canos enquanto as conexões estarão a cargo dos indivíduos que querem ficar viciados (seja em novas moradias ou casas existentes que com a extensão da rede tenham menos de 100 metros).

Quanto aos casos específicos em que não podem ser conectados ao esgoto, já está em andamento o trabalho de regulamentação da nova portaria que será necessária para administrar os depósitos estanques e nos editais de licitação para licitar o serviço. E é isso que, como Bolufer avançou, o Consistório será o responsável (seja por gestão direta ou por concessão) de sua manutenção e esvaziamento. Para fazer isso, o proprietário pagará uma taxa (o custo por metro cúbico será avaliado e cada um pagará pelo lodo gerado).

No entanto, na expectativa de que este regulamento esteja atrasado e de poder estar presente nos casos pendentes de licença, foi acordada uma provisão temporária com a Confederação Hidrográfica do Júcar para que os proprietários, através de uma empresa autorizada, possam gerir temporariamente esses depósitos até que a ordenação final esteja pronta.

Por sua parte, o prefeito, José Chulvi, falou da situação nesta área que enfrenta a Câmara Municipal com as orientações da União Europeia e as sanções que estão começando a punir os municípios que não cumprem as normas relativas à recolha e tratamento de águas residuais. "Em Xàbia temos casas 8.000 não conectadas ao sistema de esgoto e a Confederação Hidrográfica Júcar nos exige soluções" disse Chulvi, que disse que a Câmara Municipal vem trabalhando neste importante desafio ambiental há meses, o que é fundamental para manter os níveis de bem-estar e saúde no futuro. "E ao mesmo tempo garante que podemos manter o desenvolvimento de Xàbia".

artigos relacionados

Comentários sobre "Xàbia vai investir 8 milhões de euros, nos próximos quatro anos, na melhoria da rede de esgotos"

*

25.194
1.525

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se você continuar a navegar você está dando seu consentimento para a aceitação dos cookies acima mencionadas e aceitação do nosso política de biscoitos, Clique no link para mais informações. perto