Guarda Civil investiga nove funcionários da 'Zona Azul' de Calpe

A Guarda Civil de Calpe está investigando nove pessoas, todas elas empregadas por uma empresa encarregada de controlar o estacionamento da Zona Azul (ORA) naquela cidade, por serem os supostos autores de uma série de crimes contínuos de falsidade e fraude documentais.

No início de março deste ano, a 2019, a Guarda Civil de Calpe estava ciente de várias irregularidades cometidas, supostamente, por alguns funcionários de uma empresa de controle de veículos estacionada na Zona Azul, especialmente no que se refere a no momento do controle e preparação das reclamações para os referidos veículos, por falta do bilhete de estacionamento ou por ter excedido o tempo do mesmo.

Os agentes da Área de Investigação da Guarda Civil da localidade de Calpina iniciaram os procedimentos de investigação correspondentes, verificando que muitas das reclamações apresentadas por esses funcionários investigados haviam sido supervisionadas ou verificadas apenas por um único controlador, sendo um requisito essencial que o crime em questão é corroborado ou advertido no local por pelo menos dois controladores.

Ou seja, quando um motorista observa um veículo infrator, outro trabalhador que não seja esse último deve verificar esses fatos, passando para o local onde a infração foi testemunhada. Graças à investigação, foi possível saber, de maneira confiável, que essas verificações não foram realizadas de acordo com as normas legais vigentes, uma vez que os dois controladores foram alertados por telefone para que, assim, um deles pudesse salvar o deslocamento e poder cobrir maior extensão do município.

Feita a ligação, o único controlador presente na infração emitiu uma queixa de boletim com duas assinaturas, alegando falsamente a alegada corroboração do segundo operador, para que a queixa não pudesse ser
apelável ou anulável.

Outro extremo que pode ser reconhecido graças à investigação foi que esses trabalhadores, muitas vezes em que fizeram uma denúncia, não deixaram a denúncia física do boletim no pára-brisa do veículo denunciado, fazendo com que a denúncia chegasse diretamente através da SUMA, ou seja, seu pagamento obrigatório. Com isso, os funcionários devem fingir "Eduque os usuários, para que eles se acostumem a colocar o ticket".

Aumento de reclamações

O motivo dessa má prática, realizada pelos controladores, seria o aumento do número de reclamações, aumentando o benefício econômico e levando a economia de custos na contratação de mais funcionários, para realizar essas verificações legalmente, de acordo com estabelecido na legislação vigente. Aparentemente, e como evidenciado pelas declarações coletadas durante a investigação, houve ordens específicas de dois chefes / gerentes da empresa de agir de maneira fraudulenta, ameaçando os trabalhadores com demissão, em caso de insubordinação .

Além dos crimes continuados de falsificação de um documento público, também foi possível verificar a prática de um crime continuado de fraude, uma vez que, na redação das denúncias, houve ação por meio de engano e falsidade, causando sérios danos econômicos às empresas. os cidadãos.

O saldo total das pessoas investigadas é o 9, todos espanhóis, sendo cinco mulheres e quatro homens, com idades entre os anos 33 e 61. Todos eles foram libertados depois de dar uma declaração às agências policiais, aguardando julgamento.

De acordo com o resultado da investigação, essas irregularidades teriam sido praticadas por mais de um ano, o que poderia causar aos usuários graves danos econômicos, ainda a serem determinados, de vários milhares de euros.

Muitas das vítimas desse golpe já foram informadas da existência da abertura de um processo judicial, para que possam aparecer como partes interessadas e poder reivindicar uma possível compensação. Não está descartado que esses eventos também possam ter ocorrido em outros municípios onde a empresa presta seus serviços.

Vale ressaltar a colaboração inestimável da cidade de Calpe, ao fornecer os dados e arquivos exigidos pelos agentes, necessários para o desenvolvimento da investigação.

artigos relacionados

Comentários sobre "Guarda Civil investiga nove funcionários da 'Zona Azul' de Calpe"

(Obrigatório)

26.478
1.700
4.764
436
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para oferecer publicidade personalizada e coletar dados estatísticos. Se você continuar navegando, consideramos que você aceita nossos política de biscoitos.